Atualidade

Dia Internacional do Enfermeiro

08 maio 2015

A 12 de Maio comemora-se em todo o mundo o Dia Internacional do Enfermeiro. Este dia celebra a enfermagem e os enfermeiros de todos os países. 

É também o dia do nascimento de Florence Nightigale (nascida em 1820), percursora da enfermagem moderna. Ficou também conhecida como a Dama da Lâmpada (símbolo icónico da profissão), por a utilizar durante a noite nos cuidados aos feridos de guerra.

À nobre profissão da Enfermagem estão também ligadas personalidades que integram a história universal, desde a literatura e a filosofia, passando pelas artes, política e na luta pela liberdade e direitos fundamentais .

O Conselho Internacional de Enfermeiros (ICN) comemora anualmente este importante dia. O tema deste ano é “Os Enfermeiros, Uma Força para a Mudança – Eficazes nos Cuidados, Eficientes nos Custos”.

Porque também foram enfermeiros... têm uma visão especial sobre a vida!

Aqui lembramos alguns desses enfermeiros.

Walt Whitman

Nasceu em Long Island (New York) em 1819 e morreu em Camden (New Jersey), em 1892. Autodidata, foi aprendiz de tipografia, discreto jornalista e enfermeiro na Guerra da Secessão, onde foi reconhecido pelos cuidados a milhares de soldados doentes e feridos nos hospitais de Washington, D.C. Poeta de renome, a sua influência tem-se revelado imensa, quer na prática de muitos activistas sociais, quer na obra de numerosos poetas e de outros escritores do século XX.

Friedrich Nietzsche

Este genial pensador alemão nasceu em Röcken, a 15 de Outubro de 1844, e tornou-se um dos mais importantes filósofos da Alemanha do século XIX. Em 1870, Nietzsche tem a oportunidade de testemunhar, durante o seu trabalho como enfermeiro voluntário na Guerra Franco-Prussiana, o impacto da dor e da violência sem limites provocada por este confronto bélico. Esta experiência também servirá de matéria-prima para a sua criação intelectual. Morre na cidade de Weimar, a 25 de Agosto de 1900.

Ludwig Wittgenstein

Ludwig  Josef Johann Wittgenstein nasceu a 26 de Abril de 1889, em Viena, e faleceu vítima de um cancro, em Cambridge (Inglaterra), no dia 29 de Abril de 1951. Wittgenstein viveu um período de grandes transformações políticas, sociais e económicas na Europa. Participou nas duas guerras mundiais. Na primeira, como voluntário, foi oficial do exército austríaco e, na segunda, também como voluntário, foi enfermeiro assistente no Guy´s Hospital, em Londres. Contudo, não apenas o percurso biográfico de Wittgenstein, mas sobretudo as suas inquietações existenciais são de fazer inveja a muitos filósofos da existência. Pensar no sentido da vida constituiu-se uma tarefa rotineira na existência deste filósofo da linguagem. No leito da morte, pediu simplesmente que dissessem à posteridade que ele tivera uma existência maravilhosa.

Agatha Christie

Agatha May Clarissa Miller nasceu em Torquay (Grã-Bretanha), em 1890. Durante a I Guerra Mundial prestou serviço voluntário num hospital, primeiro como enfermeira e depois como funcionária da farmácia e do dispensário. Esta experiência revelar-se-ia fundamental, não só para o conhecimento dos venenos e preparados que figurariam em muitos dos seus livros, mas também para a própria conceção da sua carreira na escrita. Deixando para trás um legado universal celebrado em mais de cem línguas, a Rainha do Crime, ou Duquesa da Morte (como ela preferia ser apelidada), morreu a 12 de Janeiro de 1976

Paul Éluard

Poeta francês, Paul Éluard nasceu com o nome de Eugène Grindel a 14 de Dezembro de 1895, em Saint-Denis (Paris). Tendo contraído tuberculose aos 16 anos, foi enviado em convalescença para um sanatório na Suíça. De regresso a França, a deflagração da I Grande Guerra fê-lo sentir-se na obrigação de se alistar. Incorporado como enfermeiro na frente de batalha, ficou gravemente ferido pouco tempo depois, em consequência de um ataque com gás mostarda. Paul Éluard faleceu a 18 de Novembro de 1952 em Charenton-le-Pont, vítima de um ataque cardíaco.

Bertolt Brecht

Dramaturgo e poeta alemão, nasceu em Augsburg em 1898 e morreu em Berlim em 1956. Serviu na I Guerra Mundial como enfermeiro, interrompendo para isso os seus estudos de medicina. Começou a carreira teatral em Munique, mudando-se em seguida para Berlim. Durante a II Guerra exilou-se na Europa e nos EUA. Acusado de actividade anti-americana durante o macarthismo, voltou à Alemanha e fundou, em Berlim Oriental, o teatro Berliner Ensemble.

Dona Maria Adelaide de Bragança

Maria Adelaide Manuela Amélia Micaela Rafaela de Bragança nasceu em Saint Jean de Luz (França) a 31 de Janeiro de 1912 e faleceu em Almada a 24 de Fevereiro de 2012. Foi um membro da família real portuguesa, filha de D. Miguel II de Bragança e de Maria Teresa de Lowenstein-Wertheim-Rosenberg. Viveu em Viena (Áustria), trabalhando como enfermeira e assistente social. Durante a II Guerra Mundial, quando havia bombardeamentos, deslocava-se durante a noite para os locais atingidos para prestar ajuda às vítimas. Integrou um movimento de resistência à Gestapo, tendo sido condenada à morte. A 31 de Janeiro de 2012, data do centenário do seu nascimento, foi agraciada pelo Presidente da República Aníbal Cavaco Silva com a medalha da Ordem do Mérito.

"Che" Guevara

Ernesto Guevara de la Serna, conhecido como "Che" Guevara, nasceu em Rosário (Argentina) a 14 de Junho de 1928 e faleceu em La Higuera (Bolívia) a 9 de Outubro de 1967. Foi um guerrilheiro, político, jornalista, escritor, enfermeiro e médico argentino-cubano. Em 1951 viaja como enfermeiro a bordo do navio tanque Anna G, que o leva até Porto Alegre no Brasil, Venezuela, Trinidad e Caribe. Guevara foi um dos ideólogos e comandantes que lideraram a Revolução Cubana (1953-1959). A sua figura desperta grandes paixões, a favor e contra, na opinião pública, e converteu-se num símbolo mundial. Foi considerado pela revista norte-americana Time como uma das cem personalidades mais importantes do século XX.

Rainha Fabíola da Bélgica

Fabíola da Bélgicanasceu a 11 de Junho de 1928 em Madrid (Espanha) e faleceu em Laeken (Bélgica) a 5 de Dezembro de 2014. Foi a rainha consorte e viúva de Balduíno I da Bélgica, que reinou de 1951 até 1993, ano da sua morte. Os seus estudos primários foram realizados em Roma e Paris. De volta a Espanha, diplomou-se em enfermagem e exerceu no Hospital Gómez Ulla de Madrid. Admirada por sua devoção à Igreja Católica e a causas sociais, particularmente aquelas relacionadas com doentes portadores de doença mental, crianças e mulheres de países do terceiro mundo, a rainha Fabíola recebeu, em 2001, a Medalha Ceres, em reconhecimento do seu trabalho junto das mulheres de zonas rurais de países em desenvolvimento. A medalha foi dada pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura.

Maria Rosa Colaço

Nasceu no Torrão em 1935 e reside actualmente em Almada. Fez o Curso de Enfermagem no Instituto Rockfeller (conhecida como Escola Rockfeller, depois Escola Superior de Enfermagem de Francisco Gentil, hoje integrada na Escola Superior de Enfermagem de Lisboa) e frequentou a Escola do Magistério Primário, mas foi como jornalista e como autora de diversos contos e poemas - alguns dos quais musicados - que o seu nome se tornou conhecido. Várias vezes galardoada, é autora de obras como A Criança e A Vida (1984) e O Coração e o Livro (2004) e, ainda, de diversos programas televisivos para crianças e peças de teatro. Defensora da liberdade e senhora com carácter forte, sempre atenta às modificações da sociedade e defensora de uma participação cívica activa.

Esta recolha é da autoria de Pedro Quintas
Enfermeiro Especialista em Saúde Comunitária, UCSP Figueira Sul, ACES Pinhal Litoral, ARS Centro IP, Membro Suplente do Conselho de Enfermagem Regional do Centro da Ordem dos Enfermeiros.

Anuário

Anuário Enfermeiro 2021

PUB