Atualidade

ESEP revela que jovens portugueses consomem bebidas alcoólicas em excesso

19 Mar. 2021

Um estudo realizado pela Escola Superior de Enfermagem do Porto (ESEP) revelou que existem padrões preocupantes de consumo excessivo de bebidas alcoólicas por parte de jovens portugueses em idade precoce.

Em comunicado, a ESEP refere que o estudo “Consumo de bebidas alcoólicas e binge drinking nos jovens em formação”, publicado na Ata Paulista de Enfermagem por José Carlos Carvalho, docente ESEP e investigador CINTESIS, em coautoria com Olga Valentim da Escola Superior de Saúde Atlântica e Lídia Moutinho do Centro Hospitalar Psiquiátrico de lisboa, pretendeu “conhecer os padrões de consumo de bebidas alcoólicas e em particular a prática de ‘binge drinking’ em jovens que frequentam a escolaridade obrigatória, em escolas no distrito de Lisboa, Portugal”.

Este estudo foi realizado com base numa amostra de 174 jovens, de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 13 e os 22 anos, de três escolas do distrito de Lisboa.

Os autores concluíram que a idade do primeiro consumo oscilou entre “os 5 e os 19 anos, sendo a idade com que mais frequência se iniciou a experimentação foi aos 14 anos”. Quanto à ingestão de bebidas alcoólicas no último ano, “mostra que cerca de 55% dos participantes ingeriu bebidas alcoólicas”.

De acordo com a investigação, tem-se verificado uma modificação considerável no padrão de consumo de bebidas alcoólicas, passando assim “do consumo diário de bebidas alcoólicas para um consumo menos rotineiro, muitas vezes com a intenção de intoxicação aguda rápida (binge drinking), em idades cada vez mais precoces.” O “binge drinking” foi experienciado “por 23% dos participantes, sendo que 5,7% dos jovens adota este padrão de consumo pelo menos uma vez por mês”.

Em Portugal, apesar da evidência demostrar um decréscimo no consumo de bebidas alcoólicas, é, ainda, preocupante o percentual de consumos de risco e dependência, na faixa etária compreendida entre os 15 e os 24 anos (11,8%), pode ler-se em comunicado.

 

Anuário

Anuário Enfermeiro 2019

PUB