"Em Portugal, há uma grande necessidade de cuidados de enfermagem"

quinta, 13 julho 2017 10:43 Diogo Peixoto, 23 anos, frequenta o 4.º ano de Enfermagem na Escola Superior de Enfermagem do Porto

"Em Portugal, há uma grande necessidade de cuidados de enfermagem""Se o meu país me permitir, sem sombra de dúvida que fico aqui. Em Portugal, há uma grande necessidade de cuidados de enfermagem", afirma Diogo Peixoto, natural de Vila Nova de Gaia, a estudar Enfermagem na Escola Superior de Enfermagem do Porto. O estudante acredita que, entre outros aspetos, os enfermeiros podem ser a chave para o combate ao isolamento dos idosos.

 

Enfermagem porque...

Durante o 11.º ano decidi que seguiria os estudos na área da saúde. Houve um período de tempo em que estive indeciso entre Psicologia e Enfermagem, mas optei por Enfermagem, porque, na altura, tinha a perceção de que se tratava de uma profissão em que não havia tempo para parar; queria algo com vitalidade.

Ligação com a área

A minha mãe é auxiliar de ação direta numa empresa de prestação de cuidados a idosos e, por vezes, falava-me de pormenores relacionados com o seu trabalho. Comecei, então, a desenvolver alguma curiosidade e interesse.

A escolha da universidade

Deveu-se a dois grandes aspetos: o facto de se tratar da única instituição pública no Porto onde é lecionado o curso de licenciatura em Enfermagem e a proximidade geográfica.

O curso

Quando comecei a frequentar o curso não tinha nenhuma expetativa. O que tinha era uma pequena perceção do que era ser enfermeiro. Agora, ao terminar, deparo-me com uma perceção completamente diferente. Surpreendi-me pela positiva e não me imagino a fazer outra coisa.

As universidades estão sempre um passo à frente do que é o contexto real e, partindo desta premissa, considero que a formação não está adequada à prática. No entanto, penso que é este "estar à frente" que me permitirá, no contexto real , ser mais significativo para as pessoas a quem irei prestar cuidados. Se me sinto preparado para exercer a profissão? Estou ainda com um certo grau de ansiedade, o que me parece bastante normal. A Enfermagem é um mundo...

Os desafios

Os maiores desafios durante o curso são, provavelmente, a procura da melhor evidência científica para fundamentar as minhas ações e a questão da gestão do tempo. O maior desafio enquanto futuro profissional penso que será contagiar os meus colegas com a visão que tenho do que é ser enfermeiro.

Há preocupações: o saber, o fazer bem, o emprego no final do curso... Mas estou muito confinante no futuro! Ainda há um longo caminho para percorrer. Basta querer ser-se excelente no que se faz e, sobretudo, amar a profissão.

Experiência 'in loco'

Já tive múltiplas experiências em contexto clínico. Na instituição onde estou a estudar o 3.º e o 4.º ano são passados em instituições de saúde. Se era o que eu esperava? Mais uma vez tinha uma pequena perceção, mas para quem quer ser realmente enfermeiro é uma experiência indiscritível.

Depois do curso, Portugal ou estrangeiro?

Se o meu país me permitir, sem sombra de dúvida que fico aqui. Em Portugal, há uma grande necessidade de cuidados de Enfermagem. Ainda temos pessoas a morrerem sozinhas nas suas casas...

Se pudesse voltar atrás...

Só mudaria uma coisa! Tinha estudado mais ao longo do primeiro e do segundo ano. Parece-me que nestes primeiros anos não temos consciência da verdadeira dimensão da profissão. De resto, faria tudo exatamente igual.