Ordem defende presença de enfermeiros em voos comerciais

quarta, 20 dezembro 2017 13:48

A Ordem dos Enfermeiros (OE) quer que estes profissionais passem a integrar as tripulações dos voos comerciais. Vai, por isso, pedir ao Parlamento Europeu que crie uma recomendação para incentivar as companhias aéreas a inclui-los a bordo.

A ideia foi de um enfermeiros também licenciado em gestão aeronáutica, que, em parceria com a OE, desenvolveu um projeto - o Care4flight - onde mostra a necessidade de integrar enfermeiros com formação avançada em suporte básico de vida ou experiência em urgência pré-hospitalar nas tripulações. A Ordem propõe até que seja criada uma área de competência acrescida aos enfermeiros, uma formação em enfermagem de voo que ficaria averbada na cédula profissional.

"Quando emergências médicas ocorrem em voo, o acesso aos cuidados é limitado. São inúmeras as vezes que os profissionais de saúde são chamados a assistir um passageiro, apesar da formação limitada e/ou experiência com estas situações a 30.000 pés de altitude", refere o resumo do projeto desenvolvido, que defende que a integração destes profissionais daria maior segurança e bem-estar aos passageiros.

Além dos benefícios para os passageiros, a medida traria igualmente mais-valias para as companhias aéreas: "A existência de enfermeiros a bordo dos aviões tem o efeito de evitar mortes que são desnecessárias e acaba por descer os custos que as companhias aéreas têm com alguns eventos a bordo, que muitas vezes obrigam a aterragens de emergência".

O comissário europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, vai receber a bastonária Ana Rita Cavaco, que apresentará o Care4flight em Bruxelas.