Bastonária quer investigação a mortes no SNS

sexta, 27 outubro 2017 13:27

A bastonária da Ordem dos Enfermeiros, Ana Rita Cavaco, quer que o Ministério Público investigue o caso das 2605 pessoas que, segundo uma auditoria do Tribunal de Contas, morreram quando estavam em lista de espera para cirurgia no Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Esta posição consta de uma carta enviada à Procuradoria-Geral da República e à Assembleia da República, em que a bastonária considera importante que se apure se existe ou não responsabilidade criminal da tutela. “O tempo da vida não pode ser o tempo da política. E as
decisões políticas não são imunes à acção da Justiça”, escreve.

Ana Rita Cavaco critica, ainda, a composição do grupo de trabalho formado pelo Ministério da Saúde para analisar os dados da auditoria, e de que a Ordem não faz parte.

Além dos dados sobre os óbitos, a auditoria do Tribunal de Contas denuncia o que considera “limpeza das listas de espera” através de atos administrativos ordenados pela Administração Central dos Sistemas de Saúde (ACSS).