Negociações com o Governo falham e SEP marca nova greve

sexta, 15 setembro 2017 15:45

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) voltou a reunir-se com o ministro da Saúde, esta quinta-feira, mas as propostas apresentadas por Adalberto Campos Fernandes não foram suficientes para os enfermeiros. O sindicato decretou, por isso, uma nova greve, para os dias 3, 4 e 5 de outubro.

O SEP e o Sindicato dos Enfermeiros da Região Autónoma da Madeira (SERAM) não aderiram à greve desta semana (agendada pela Federação Nacional de Sindicatos de Enfermeiros - FENSE) por estarem ainda em negociações com o Governo. No entanto, os dois encontros que tiveram por estes dias com o ministro da Saúde terminaram sem acordo.

Segundo José Carlos Martins, presidente do SEP, o Ministério da Saúde comprometeu-se a repor as horas de qualidade em 2018, estender as 35 horas semanais de trabalho aos enfermeiros com contrato individual e a aumentar o salário dos enfermeiros especialistas. Contudo, os compromissos assumidos pela tutela "não são suficientes para o acordo".

Sem adiantar mais pormenores sobre que reivindicações ficaram por abranger, o dirigente sindical anunciou a nova paralisação e diz que vai pedir uma reunião à FENSE (constituída pelo Sindicato dos Enfermeiros e Sindicato Independente dos Profissionais de Enfermagem) para "encetar convergências nas ações de luta".