Estudo: mobilidade dos profissionais tem impacto nos serviços?

terça, 04 julho 2017 10:21

A saída de enfermeiros e de outros profissionais de saúde para o estrangeiro, para trabalhar, é um tema recorrente e atual. Para perceber que consequências poderá ter essa mobilidade, a investigadora Paula Caldinhas está a desenvolver um estudo para o qual solicita a participação dos enfermeiros, e dos restantes profissionais de saúde, através do preenchimento de um questionário online.

Paula Caldinhas, médica anestesiologista de profissão, viveu e trabalhou em alguns países europeus, nomeadamente "no Reino Unido e em França, onde se verifica um grande fluxo e circulação de profissionais de saúde de diferentes países europeus", experiência que a fez escolher este tema para o seu projeto de doutoramento no Instituto de Higiene e Medicina Tropical, na Universidade Nova de Lisboa.

"Achamos que é um estudo pertinente, interessante, que tem a ver com questões da atualidade e com aspetos europeístas, uma vez que a mobilidade de profissionais de saúde dentro da União Europeia é um tema relevante não apenas em Portugal, inserindo-se num contexto de desenvolvimento e capacitação de recursos e sistemas de saúde, de acordo com as recomendações da OMS", avançou a investigadora ao Jornal Enfermeiro.

Para uma maior abrangência, o estudo "A mobilidade dos profissionais de saúde, em países da União Europeia, e seus efeitos no desempenho dos serviços de saúde" conta com a colaboração e apoio de "várias Ordens e Associações de profissionais de saúde" portuguesas e de algumas instituições estrangeiras na fase atual de recolha de dados. Para ouvir os profissionais de saúde sobre o assunto, está a decorrer um inquérito online até ao dia 31 de agosto.