Investigadores estudam saúde mental dos enfermeiros

sexta, 12 maio 2017 11:54

Um grupo de investigadores do Centro de Investigação Interdisciplinar em Saúde da Universidade Católica Portuguesa tem a decorrer, online e até julho, um inquérito sobre "A saúde mental dos enfermeiros portugueses". O objetivo é avaliar a perceção dos enfermeiros sobre a sua saúde mental, tendo em conta aspetos como o sono, fadiga, sintomas somáticos, ansiedade ou humor.

Os investigadores - Paulo Seabra, Mariana Calado e Joaquim Lopes, todos enfermeiros de profissão -, querem "conhecer a realidade" dos seus pares e identificar as "mudanças necessárias" para que estes prestem cuidados de enfermagem de qualidade, pois - diz Paulo Seabra ao Jornal Enfermeiro - "é reconhecido que a saúde e bem-estar dos enfermeiros tem impacto na qualidade e segurança dos cuidados que prestam às populações".

"Em Portugal, os enfermeiros são o maior grupo profissional no âmbito da saúde. São um pilar fundamental dos sistemas de cuidados de saúde." Por isso, "é muito importante aprofundarmos o conhecimento sobre como os enfermeiros estão e se sentem e sobre como alguns fatores laborais estão a afetar a sua saúde mental", salienta o investigador.

"Os fatores inerentes a algumas condições de trabalho, como horários prolongados, trabalho por turnos, ritmos excessivos, distress, frustração, falta de estímulo, baixos salários ou insegurança no emprego, são suscetíveis de afetar negativamente a saúde dos trabalhadores", refere Paulo Seabra, acrescentando que, em Portugal, "é sabido que os enfermeiros têm valores altos de burnout, nomeadamente elevada prevalência de exaustão emocional". As consequências podem ser "graves", tanto para os próprios como para os doentes.

O inquérito, que é anónimo, é dirigido a todos os enfermeiros portugueses que estejam registados na Ordem dos Enfermeiros (OE), independentemente do tipo de trabalho que exerçam, se estão ou não a exercer e do país onde estejam a trabalhar. O investigador apela à "participação de todos", porque "é muito importante aprofundar este assunto". Os resultados do estudo serão, depois, divulgados pela OE e em eventos e publicações científicas.