Especialidades têm impacto na saúde? É o que a Ordem quer saber

quarta, 10 maio 2017 10:20

A Ordem dos Enfermeiros (OE) está a desenvolver, em parceria com o Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), um estudo para perceber qual o impacto que as especialidades de enfermagem têm na saúde dos utentes. Dependendo das conclusões, podem surgir novas especialidades.

"Num momento em que a Ordem se prepara para adotar uma nova metodologia de atribuição do título de enfermeiro especialista, não poderíamos deixar de investir num estudo desta natureza. Ele indicar-nos-á o melhor caminho a seguir no que concerne à criação de novas especialidades e ao modo como a formação vai ser estruturada", refere o vice-presidente do conselho diretivo da OE, Luís Barreira, que acredita que "a tendência é para que a grande maioria dos enfermeiros seja especialista numa determinada área".

O estudo - intitulado "Os cuidados de enfermagem especializados como resposta à evolução das necessidades em cuidados de saúde" - deverá revelar as mais-valias dos enfermeiros especialistas em Enfermagem Comunitária, Reabilitação, Médico-Cirúrgica, Saúde Infantil e Pediátrica, Saúde Materna e Obstétrica e Saúde Mental e Psiquiátrica.

Além do impacto dos cuidados na população, serão também avaliados fatores financeiros e de sustentabilidade e as necessidades presentes e futuras da população. O estudo deverá estar terminado até julho.

A OE já anunciou que até ao final deste ano ficará concluído o processo de criação de especialidades de Enfermagem de Saúde Familiar, Enfermagem Paliativa e Enfermagem Perioperatória.