ESEnfC idealiza seringa mais vantajosa para a saúde e para os hospitais

quinta, 02 março 2017 11:01

Um grupo de alunos e professores da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra (ESEnfC) concebeu uma seringa mais vantajosa para a saúde pública e com benefícios económicos para os hospitais, que está agora a ser desenvolvida por um consórcio nacional liderado pela Muroplás - Indústria de Plásticos e do qual fazem parte a escola e o Pólo de Inovação em Engenharia de Polímeros (PIEP).

Trata-se da Seringa DUO, uma seringa de múltipla câmara de libertação sequencial que visa melhorar a prática clínica de administração endovenosa de medicamentos e soros. Em comunicado, a ESEnfC avança que este novo dispositivo médico "tem potencial para revolucionar a enfermagem hospitalar e que vai permitir o carregamento e a administração endovenosa sequencial de dois fluidos diferentes – fármaco e solução para limpeza do cateter – sem que haja necessidade de troca de seringas".

A seringa - que será agora avaliada quanto à usabilidade, segurança e eficácia - pode trazer diversas vantagens para a saúde pública, nomeadamente a redução do risco de infeção (diminuição do número de manipulações), o aumento do conforto e bem-estar dos pacientes (menor número de procedimentos de injeção) e a redução da possibilidade de erro humano.

Diminuindo o número de seringas utilizadas e o tempo disponibilizado pelos profissionais, trará também benefícios económicos para as instituições de saúde. Os custos associados ao tratamento dos doentes será menos e o volume de resíduos hospitalares será reduzido.

Considerada "inovadora", a seringa recebeu um apoio de cerca de meio milhão de euros de fundos europeus para o seu desenvolvimento: o projeto é cofinanciado pelo COMPETE 2020, no âmbito do Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico, na vertente de copromoção, com um incentivo do FEDER (Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional) de cerca de 516 mil euros.