Esperança média de vida diminui 10 anos em pessoas com obesidade severa

quinta, 14 julho 2016 12:22

Um estudo desenvolvido na Universidade de Cambridge, e publicado na revista The Lancet, defende a ideia de que o excesso de peso diminui a esperança média de vida em um ano, valor que ascende aos 10 anos em casos de obesidade severa, refutando ideias anteriormente transmitidas de que poderia não representar um perigo.

O risco de morte até aos 70 anos é uma das evidências avançada por esta investigação, ideia que cresce de “forma constante e acentuada” com o aumento da cintura. Acresce maior preocupação para as mulheres, nas quais o risco de morte é três vezes superior ao dos homens. Também as pessoas com peso abaixo do considerado “normal” sofrem de um elevado risco mortal.

“O estudo demonstra definitivamente que o excesso de peso ou a obesidade estão associados ao risco de morte prematura”, afirmou o autor do estudo, Emanuele Di Angelantonio, acrescentando que aumentam todos os riscos de doença cardíaca, acidente vascular cerebral, doenças respiratórias e cancro. “Os obesos severos perdem 10 anos de esperança média de vida”, sublinhou.

A amostra deste estudo abrangeu um total de quatro milhões de adultos em quatro continentes distintos.

Os dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), publicados em 2014, já davam conta da existência de 1,9 mil milhões de adultos com excesso de peso e 600 milhões sofriam de obesidade. Em 2014, segundo dados da Organização Mundial de Saúde, mais de 1,9 mil milhões de adultos tinham excesso de peso e 600 milhões eram obesos.